Aprender ou se acostumar?

Porakaa

Comportamento e saúde animal

Quando nos baseamos somente em conhecimentos teóricos do treinamento de animais é muito comum replicar metodologias para modificar ou ensinar novos comportamentos, e quando se trabalha com seres vivos não existe protocolo ou receita que funcionará 100% das vezes. Cada caso é um caso, e conhecer os conceitos por trás da aprendizagem é o que faz a diferença para conseguir passar ao animal a mensagem que você realmente deseja.

O processo de aprendizagem é muito mais amplo e complexo do que apenas reforço e punição, positivo ou negativo. Na teoria da psicologia a aprendizagem é dividida em dois tipos: associativa e não associativa. Como o nome já diz, no método associativo o indivíduo aprende
associando dois ou mais eventos (condicionamento clássico e operante).

Já o aprendizado não associativo é um processo mais básico, no qual o comportamento se molda em resposta a um estímulo com o qual tem contato repetidas vezes. Nesses casos o animal não aprende um novo comportamento, ele apenas aprende a lidar, da sua maneira, com estímulos e situações diferentes.

Um exemplo é quem gasta muito tempo no trânsito diariamente ou anda em ônibus cheios nas grandes cidades – aprendemos a lidar com isso (ou não) conforme temos contato várias vezes com a situação. Ou nós nos habituamos ou passamos a evitar ter essa experiência, E mesmo que nos tornemos habituados a isso, não necessariamente associamos a lotação de pessoas e o trânsito a algo agradável ou positivo.

Isso serve como alerta para a crescente oferta de serviços que prometem “educar” animais. Esse trabalho exige imensa empatia e sensibilidade do profissional para que seja respeitada a capacidade de lidar com situações estressantes pelo animal, senão estaremos no máximo fazendo com que eles se acostumem a situações desagradáveis que no longo prazo podem até trazer problemas de saúde (qualquer semelhança com a vida estressante dos humanos, não é mera coincidência!).

Gostou dessa abordagem? Esse conceitos fazem parte da nossa estratégia de comunicação com os animais em nossos atendimentos e também de um material especial que escrevemos sobre “A arte de trenar animais”.

Leia Também

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Powered by