Treinando seu próprio cavalo II – reforço positivo

Porakaa

Comportamento e saúde animal

O treinamento aumenta ainda mais o vínculo e a confiança entre você e o cavalo, e uma doma racional ou gentil vai muito além dele aceitar alguém montado em cima, andar para frente e para trás e virar para os lados. Trouxemos algumas dicas simples para você começar a praticar no dia a dia e que podem ser feitas com o animal ainda jovem, sem a necessidade de precisar montá-lo, para que quando comece a ser montado já esteja mais tranquilo e confiante.

Ao lidar com um cavalo devemos observar posição das orelhas, posição da cabeça, a distância que ele permanece de você e qual reação cada movimento seu gera nele. O objetivo não é acostumá-lo à força, e sim mostrar que não será enganado ou colocado em uma situação desconfortável à força. Por isso a observação da linguagem corporal dele é o parâmetro para indicar até onde você pode ir, ou qual espaço deve respeitar em cada momento.

Introduzindo novos objetos ou obstáculos

Objetos e situações que o assustam, até mesmo a sua presença no começo, devem ser introduzidos de maneira gradativa, sem forçar ou tentar chegar perto dele de imediato. Até mesmo sombras no chão ou poças d’água podem causar medo ou desconforto, fazendo com que ele recue e possa causar acidentes ao derrubar quem o está montando caso ele não aprenda a lidar com essas dificuldades durante a fase inicial de treino.

Novos objetos como cabresto, arreio, manta, escova, podem ser colocados no chão, deixando ele cheirar e se aproximar no tempo dele diversas vezes, até que não demonstre reação de medo.

Não é só apresentar algo repetidamente forçando a interação e esperar que ele se acostume, é importante que ele entenda que aquilo não é uma ameaça e até passe a gostar daquilo, passando pela situação sempre com uma lembrança agradável (como ganhando uma recompensa logo em seguida).

O uso do reforço positivo é uma maneira muito gentil de treiná-lo, associando momentos importantes a um alimento que ele aprecie. A cada progresso e momentos que queremos que ele goste da interação associamos a esse alimento, como logo após colocar o cabresto, após escová-lo, etc.

A doma tradicional de submeter o animal ao que queremos é baseada em habituação e desamparo, um processo de aprendizagem do cérebro que não necessariamente associa as situações a algo bom. Já um treinamento gentil é baseado em aprender a associar eventos a consequências positivas e recompensas, que no longo prazo resulta em maior equilíbrio emocional e prazer em realizar os trabalhos com você.

Leia aqui a parte I do texto

A comunicação com seu cavalo pode ser aprimorada dependendo das características individuais dele e do seu objetivo, se quiser saber mais entre em contato ou envie um e-mail para contato@porakaa.com.br

Leia Também

Domesticação humana

Treinador, domador, adestrador, educador de animais… pode ser uma chance profissional para quem gosta dos bichos e quer ser parte de um mercado que cresce

Leia mais »

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Powered by